quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Motivo dos protestos no próximo sábado: Mais um casarão na avenida Paulista, em SP, será demolido

  • A obra na avenida Paulista, iniciada em 1972, previa o alargamento em 48 m, melhorias urbanas e a construção de uma nova linha de metrô. Com o tempo, a via perdeu seus casarões
    ----------------------------------------------------------------------------------------------------

    São Paulo - Mais um casarão da avenida Paulista, em São Paulo, será demolido para dar lugar a um arranha-céu comercial. Trata-se da residência Dina Brandi Bianchi, vizinha da Casa das Rosas, construída na década de 1920. Na tentativa de evitar a demolição, ONGs buscam apoio de órgãos do patrimônio e farão uma manifestação no sábado (22).

    Em 30 anos, a Paulista perdeu pelo menos 25 imóveis que serviram de moradia à elite econômica nas primeiras décadas do século passado. No número 91, o casarão foi adquirido pela construtora Even no início do ano. A autorização para a construção do edifício foi dada em maio.

    No dia 30 daquele mês, o Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat) autorizou a "construção de edifício comercial", segundo ata da reunião dos conselheiros. A autorização é necessária por se tratar de uma construção vizinha de patrimônio tombado, a Casa das Rosas.

    Em 1982, o próprio Condephaat manifestou a vontade de iniciar um estudo de tombamento para os 31 casarões que existiam na via. O anúncio fez os proprietários dos imóveis se apressarem para vendê-los, com medo de correr o risco de não conseguir mais negociá-los. Hoje, só restam seis casarões na via.

    Fonte da notícia: Agência Estado



3 comentários:

EFGoyaz disse...

Veja que interessante:

http://www.guiadebage.com.br/colunas/turismo/memoria/index.html

trombone com vara disse...

E DEPOIS DE TEREM DEMOLIDO IRÃO "CHORAR" PELA FALTA DE HISTÓRIA E DE "CHARME EUROPEU" NA CIDADE DE SP. A PAULISTA FOI UMA AVENIDA INTERESSANTÍSSIMA ATÉ 1983, DESDE ENTÃO ELA É UMA AVENIDA SEM ALMA, SEM RG, SEM NADA.

Hélio Bertolucci Jr. disse...

Pois é,

Compartilho com sua opinião. O charme europeu acabou na cidade de São Paulo.

Já é exigir muito algo do período colonial.