segunda-feira, 26 de julho de 2010

Casa do Conde Martinelli aberta novamente à visitação

Depois de dois anos em reforma, volta a ser aberta para visitação pública, a casa do Conde Giuseppe Martinelli. 

O prédio que apresenta traços de arquitetura francesa, foi idealizado por Martinelli e inaugurado em 1929. Contratou para tal empreitada o engenheiro-arquiteto húngaro, William Fillinger que usou, pela primeira vez, o “concreto armado” um novo conceito na engenharia civil, rompendo com os padrões da época.

O Edifício Martinelli foi o primeiro arranha-céu da cidade e contam que os endinheirados do Interior de São Paulo e os barões do café, vinham até a capital só para conhecer a beleza arquitetônica do edifício. Foi um dos grandes pontos de encontro da elite paulistana.

Para que as pessoas tomassem conhecimento da segurança do prédio, o Conde Martinelli construiu justamente no topo do edifício seu palacete e mudou com para lá com sua família. De uso misto o prédio contava com áreas residenciais e comerciais. Contava também com uma sala de cinema, o Cine Rosário.

Com a quebra da Bolsa de Nova York em 1929, muitos dos endinheirados que que tinham intenção em adquirir unidades no prédio, deixaram de lado esses planos e o Conde assumiu muitas dividas e não teve outra saída do que vende-lo. No período da Segunda Guerra Mundial por causa dos italianos afundarem navios brasileiros, o governo resolveu confiscar os bens dos italianos e o prédio passou para administração federal e depois foi a leilão.

Naquela época, com a fortuna recuperada, o Conde Martinelli tentou recuperar o prédio, mas este já pertencia a outros proprietários. Giussepi Martinelli não se conformando com esta situação preferia nem passar perto do prédio e sempre que estava na região central pedia ao seu motorista para evitar a área.

Do auge a decadência, o Edifício Martinelli passou por vários períodos, chegando a se transformar no maior cortiço vertical. No seu interior aconteceram muitas histórias de prostituição e assassinatos, tantas que poderiam ser transformadas em vários livros.

O prédio só voltou a recuperar seu glamour na gestão do prefeito Olavo Setúbal, em 1979, quando foi complemente restaurado. Hoje é ocupado por escritórios, órgãos públicos e sindicatos.


Contato para visitação:
condomínio@prediomartinelli.com.br.

Endereço: Av. São João, 35, tel. 0/xx/ 11/3104-247
Visitas agendadas
Grátis

7 comentários:

Angeline disse...

Muitíssimo interessante essa história.

Hélio Bertolucci Jr. disse...

Obrigado Angeline por seu comentário

Bruna disse...

Nossa, nunca tinha ouvido falar que já fora um cortiço, hoje se não soubesse, jamais imaginaria...Esse edifício realmente se destaca na paisagem central de SP.

Parabéns pelo Blog, é bom ver pessoas que se importam com nossa historia, nosso bem mais precioso.

Hélio Bertolucci Jr. disse...

Legal Bruna seu comentário. Pois é, eu mesmo não sei de muitas histórias, mesmo porque não sou historiador (rs), mas tem muita coisa bacana para conhecer. Obrigado pelo comentário e visite sempre o blog, comente, dê sugestões....

Rebecca Orwell disse...

Seu blog é simplesmente emocionante! !
É um presente que nos faz viajar no tempo e desejar profundamente a preservação da nossa identidade histórica e cultural.
Parabéns, realmente é adorável.
Um grande abraço

Hélio Bertolucci Jr. disse...

Oi Rebecca,
Obrigado por seu comentário e por suas palavras amáveis. Procurei um endereço de email para um contato direto, mas não o encontrei. Tomara que você leia isso, porque não basta fazer somente um blog, mas sim, sermos grato pelas pessoas que visitam o trabalho, afinal, a idéia é também levar cultura.
Tomara que muitos "Chega de Demolir" se espalhem por muitos municípios brasileiros, afinal, a mãoe a boa vontade do homem é mais rápida para degradar do que para preservar. Abs,

Alan disse...

É uma pena oq aconteceu com esse edifício, lembro que fiz uma vista monitorada há alguns anos atrás e fiquei besta diante do prédio hehehe bom saber que as visitas voltaram!